Resenha - Lugar Nenhum

Lugar Nenhum

Autor: Neil Gaiman
Editora: Conrad
Classificação: Literatura Estrangeira - Ficção Fantástica
Páginas: 236
Ano: 2010


         Primeiro romance escrito por Neil Gaiman, Lugar Nenhum conta a história do escocês Richard Mayhem, um homem comum, que vive em um apartamento simples em Londres e está noivo de Jéssica, uma mulher que tem todos os adjetivos para ser uma boa esposa apesar de ser uma pessoa detestável.
         Richard vivia uma vida comum, até que uma noite ele sai em companhia de Jéssica para um jantar importantíssimo, e se depara com uma mulher caída e machucada na calçada. Ela veste roupas esfarrapadas e está muito suja e ferida, e Richard imediatamente vai socorrê-la (apesar do desagrado de Jéssica). A mulher é Door, uma jovem de aparência estranha que está fugindo de dois assassinos cruéis e sanguinários e implora que Richard a ajude. Ele cede aos pedidos dela mesmo contra a vontade de sua noiva, e a leva pra sua casa. É a partir daí que sua vida vira de ponta a cabeça.


“Richard havia percebido que os acontecimentos são seres covardes. Eles nunca acontecem sozinhos: vêm numa matilha, pulando juntos sobre alguém ao mesmo tempo.”

         Depois que Door vai embora de seu apartamento, Richard acha que tudo voltará ao normal em sua vida. Mas é exatamente o oposto que acontece. Richard simplesmente “desaparece”, as pessoas na rua não o enxergam, ele não é reconhecido em seu trabalho e nem por sua noiva Jéssica. É como se ele não existisse! Seu apartamento é vendido, e ele se vê em um beco sem saída, e a única coisa que lhe ocorre é ir atrás de Door e descobrir o que aconteceu com sua vida e tentar resgatá-la de alguma forma. Ele parte para a Londres-de-baixo, um submundo feito de labirintos, canais de esgoto e estações de metrô abandonadas, que é povoada por criaturas excluídas, monstros, monges, assassinos e nobres e ao lado de Door vai conhecer uma Londres fantástica, e viverá aventuras nunca antes imagináveis.

“Richard escreveu mentalmente em um diário imaginário: Querido diário – começou ele. Na sexta-feira eu tinha um emprego, uma noiva, uma casa e uma vida normal (bom, até o ponto em que a vida consegue ser normal). Então encontrei uma moça sangrando na calçada e tentei bancar o Bom Samaritano. Agora não tenho mais noiva, casa ou emprego, fico andando a esmo a uns sessenta metros abaixo das ruas de Londres e minha expectativa de vida é tão longa quanto a de uma drosófila suicida.”

         Este é o primeiro livro de Neil Gaiman que leio. Na minha estante me esperam Deuses Americanos e Os Filhos de Anansi, mas como Lugar Nenhum é um volume único, decidi começar por ele.
         O livro é ótimo, e uma boa definição que vi dele por aí é: “um Alice no País das Maravilhas muito punk!” O autor conseguiu criar uma realidade alternativa muito interessante, cheia de perigos e seres fantásticos. Richard não é o típico herói, ele morre de medo de tudo, é meio covarde e isso o torna cativante. Door é uma menina corajosa e determinada, em alguns momentos é sensível e terna, mas sem perder o foco de seus objetivos.
         Os personagens secundários são tão ou mais interessantes que os principais. O Marquês de Carabas e Hunter, que estão ao lado de Door e Richard nessa aventura são personagens fortes e decididos. Na minha opinião, os personagens mais interessantes são os dois assassinos Sr. Croup e Sr. Vandemar os vilões da história. Eles têm um toque de humor, um tanto de burrice e usam de uma violência desmedida, chegando a ser exagerada. Uma combinação perfeita para um bom vilão.

“- Croup e Vandemar Associados – disse, suavemente. – Removemos obstáculos, eliminamos chateações, cortamos membros irritantes. Também oferecemos serviços de odontologia.”

         Apesar de criar um universo tão amplo, uma realidade tão inusitada, a narração é muito simples e flui muito bem. O livro tem muitos personagens, o que desagrada alguns leitores. Mas não é cansativo nem confuso. A narração em terceira pessoa nos dá o ponto de vista de fora da história, e nos transforma em expectador de uma aventura inusitada e insólita. Acredito que o livro ainda se torne mais interessante pra quem conhece a cidade de Londres, por ser baseado em lugares reais, existem muitas comparações e citações diversas.
         Lugar Nenhum é o tipo de livro que temos que ler com a “mente aberta”. Se você consegue fazer isso, terá uma leitura muito agradável e interessante. Me senti vendo um filme de Tim Burton. Vale a pena!


“- Meu jovem, você precisa entender uma coisa. Existem duas Londres: A Londres de Cima – onde você morava – e a Londres de Baixo, o Submundo, habitada pelas pessoas que caíram pelas fissuras do mundo. Agora você é uma delas. Tenha uma boa noite.”

Michelle


3 comentários:

Bru Souza disse...

não conhecia o livro, mas parece ser legal
ótima dica,
bjus
meumundinhoficticio.blogspot.com

Lú Miranda disse...

Jurava que esse livro era nacional, omg, não sabia.
Encontrei ele por 8 reais e não comprei, que droga! Fiquei na dúvida se era bom ou não e acabei perdendo a oportunidade. Ana, concordo com você, desagrada muitos leitores quando o livro conta com vários personagens, confunde, fica exaustivo, enfim... Mas mesmo assim quero lê-lo.


Beijão, querida.
http://clicandolivros.blogspot.com.br/
Beijos

Neriana Rocha disse...

Eu sempre vejo esse livro nas promoções do submarino e deixo passar, na próxima ele não me escapa... Hehehehe!
Gostei muito da sua resenha e quero ler.

Beijos!

Café com Leituras!
http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

Postar um comentário