Resenha - O Inferno de Gabriel

O Inferno de Gabriel
Autor: Sylvain Reynard 
Páginas: 512 
Ano: 2013 
Editora: Arqueiro 
Classificação: Literatura Estrangeira - Romance

O livro nos apresenta a história de Gabriel Emerson, um conceituado professor universitário especialista em Dante Aliguieri. Um homem extremamente duro, rigoroso, impaciente e grosseiro, não desperta nenhum bom sentimento por parte de seus alunos. Lindo e rico, considerado excelente naquilo que faz e com muitas mulheres a sua disposição.
Julia Mitchel é uma jovem de 23 anos muito tímida, que consegue uma bolsa de estudos para fazer mestrado na Universidade de Toronto, no Canadá, bolsa esta que permite a Julia viver uma vida simplória, sem luxos e com muitos sacrifícios.
O inevitável primeiro encontro dos dois, numa aula de abertura para os mestrandos é desastroso. Gabriel se aproveita da timidez e simplicidade de Julia e a humilha na frente dos outros alunos. Ele passa a ser seu orientador, já que Julia quer se especializar em Dante, e isso os obriga a conviver.


“Então Julia sorriu para ele e o professor se surpreendeu sorrindo também, involuntariamente. Ela ficava muito bonita quando sorria. Ele precisaria garantir que sorrisse com mais freqüência, por motivos puramente estéticos.”

Gabriel e Julia têm uma história no passado, mas devido às circunstâncias, Gabriel não se lembra dela, e isso a decepciona. Ele é muito frio, chega a ser agressivo, e isso a deixa arrasada. Julia tem uma história familiar complicada, teve uma infância difícil e a iniciação amorosa muito conturbada. Vive atormentada por lembranças de um passado que gostaria de deixar pra trás, mas a aproximação com Gabriel só reacende cada vez mais essa chama. Ela tenta de toda forma se afastar dele, de suas grosserias e seu mau humor, mas o destino se encarrega de aproximá-los.

“Ela fitou seus olhos escuros e carinhosos e pensou por um instante em como a gentileza era muito mais valiosa que a paixão, respondendo que sim antes mesmo de poder cogitar dizer não.”

Gabriel também tem um passado cheio de fantasmas que o assombram, e sofre muito com isso, apesar de esconder seus sentimentos se mostrando frio e arrogante. De dia é um professor universitário rigoroso e controlado, e a noite vive uma vida de luxúria e pecado. Mas a aproximação da aluna tímida e determinada faz cair por terra essa máscara que ele usa para esconder seus verdadeiros sentimentos.

“- Não espero que entenda. Você é um ímã para desastres, Srta. Mitchell. Eu sou um imã para pecados.”

Ele não se lembra, e sofre. Ela nunca esqueceu, e sofre. Talvez a aproximação dos dois seja uma redenção, uma nova chance que a vida lhes dá. Uma oportunidade de recomeçar.

“- Facilis descensus Averni – sussurrou ele, as palavras fatídicas e sobrenaturais atingindo-a na própria alma. -  A descida para o Inferno é fácil.”
  

A sensação que tive ao ler o livro é que já conhecia a história. A impressão que me deu, é que pegaram uma fórmula pronta, e só mudaram os personagens e a ambientação, o resto, é tudo igual. Um gênero literário que está na moda, mas que acabou ficando previsível demais.
Gostei do paralelo que foi feito do romance entre Gabriel e Julia com a história de Dante e Beatriz. Em “A Divina Comédia” Dante parte em uma difícil caminhada pelo inferno em busca de redenção e absolvição para entrar no Paraíso. Nessa jornada, é sua amada Beatriz que o guia com sua luz pelo caminho das trevas. Pra quem gosta de literatura renascentista, é interessante, e pra quem não gosta, é sempre bom conhecer novas histórias.
Achei tudo muito repetitivo, com passagens que me fizeram lembrar em muitos momentos a trilogia 50 Tons. Os personagens são bons, mas só Gabriel me cativou. Apesar de seus demônios pessoais, se transforma no decorrer do livro em um amante apaixonado, paciente e muito amoroso. Gabriel prova com suas ações, que mesmo sendo um homem marcado pelo pecado, pode sim ser digno de um amor verdadeiro. Julia não sofre grandes transformações no decorrer do livro, é a mocinha virgem, tímida e inocente, sem sal e com baixa autoestima. Chata e previsível.
O livro tem passagens bem quentes que, aliás é o estilo do livro, mas o desenrolar da trama é lenta e repetitiva. O ponto positivo, na minha opinião são as citações literárias, musicais e artísticas muito ricas, que deixa o leitor curioso e interessado. Mas o livro como um todo não me agradou. Acho pouco provável que eu leia a continuação.
O ponto alto que eu não poderia deixar de citar está na página 350:


“Ele abriu um meio sorriso que quase fez Julia derreter e virar uma poça no chão, como no filme O Fabuloso Destino de Amelie Poulain.” Amei!

Michelle


1 comentários:

Sarah Marques disse...

Oi, tudo bom?
Todo mundo fala muito bem desse livro mas a verdade é que tomei trauma de livros adultos desde que li 50Tons e achei péssimo. Não pelas cenas hot nem nada, mas pela história rasa e sem conteúdo, que parece canal pornô e nao tá nem aí pro enredo...
Passando pra te avisar que meu blog, em parceria com a autora FML Pepper e outros 3 blogs, está sorteando um KINDLE!
Vai perder?
Beijos
Endless Poem

Postar um comentário